Como chegar ao The Peak, a melhor vista de Hong Kong


Depois de andar pelos famosos arranha-céus de Hong Kong, é hora de curtir uma vista ainda mais alta da Ilha. Vamos conhecer o “The Peak”, carinhosamente chamado de “Corcovado do Oriente”.

The Peak

Como chegar: Peak Tram (Próximo a estação Admiralty do Metrô)


Quanto Custa: HK$ 45


Melhor Dia: Todos


Horário: 07h à 00h00

Quase 400 metros acima do nível do mar está o The Peak, morro que é um dos cartões postais de Hong Kong. Localizado na ilha principal, ele pode ser visto de praticamente todos os cantos da cidade. Já sentiu aquela coceira na mão para tirar fotos? Pode apostar que a vista de lá é a melhor da região. E não é só isso. Como tudo na moderna Hong Kong, o morro conta com um shopping, restaurantes, estrutura de primeira e até uma unidade do famoso Museu de Cera Madame Tussands.

Como Chegar

De cima do The Peak dá pra ver praticamente toda a cidade de Hong Kong (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Ficou com vontade de subir, mas não sabe escalar? Calma que eu te ajudo. Existem dois jeitos de chegar ao The Peak. O primeiro e mais chato é de Táxi ou Uber. Você chama o motorista, ele sobe uma estrada e te deixa lá. É fácil, mas totalmente sem graça. Já que eu sei que você prefere experiências mais emocionantes, apresento aos senhores o Peak Tram:

O charmoso Peak Tram espera os passageiros para subir o morro (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

O Peak Tram é um trem histórico que há mais de 120 anos leva os turistas até o alto do morro. Ele começou as operações em 1888. Andar no Peak é uma das experiências que eu considero essenciais em Hong Kong, então larga de ser chato, deixa o táxi de lado e vamos conhecer a ilha de verdade. Para chegar até o Peak, desça na estação Admiralty do metrô. Depois é só andar quatro quarteirões (sem reclamar – use o Google Maps) até chegar na Peak Tram Station.

Turistas lotam a Peak Tram Station (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Como você pode reparar na foto, o local não é exatamente tranquilo. Mas isso é uma coisa a se acostumar na Ásia. Nenhum ponto turístico vai estar vazio, tudo sempre tem muita gente. Eu prefiro relaxar enquanto estou nas filas do que ficar estressado.  Afinal, ninguém merece ficar nervoso nas férias. Aproveite para observar a vista e até fazer amizades. Pode ficar tranquilo que ninguém vai te tratar mal, muito pelo contrário.

O pessoal na Ásia é fã de uma fila em atrações turísticas (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Depois de enfrentar a fila, é hora de comprar os ingressos. A passagem de ida e volta custa HK$ 45. Essa é passagem mais simples, que só dá direito a usar o Peak Tram. Tem uma passagem mais cara, que custa HK$ 88, que, além do passeio, dá acesso ao Sky Terrace 428, que é uma torre modernosa que fica em cima do morro. Essa torre dá uma vista mais alta de Hong Kong. Ir ou não até lá é uma opção sua. Sem ela, você já vai garantir belas fotos de Hong Kong, mas é claro que a da torre é um pouco melhor. Se você realmente curte fotografia e tal, vale a pena. Se não, a básica vai te atender bem.

Passageiros esperam para embarcar no Peak Tram (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Depois de pegar mais uma filinha e passar por um museu, que conta a história do Peak Tram, é hora de embarcar.

O bonde passa em meio a uma mata nativa durante a subida (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

O trem sobe o morro e, de acordo com o pessoal, causa uma ilusão de ótica e você enxerga os arranha-céus de Hong Kong caindo durante a subida. Confesso que não consegui ver isso, mas dependendo do tipo de chá que você tomar antes do passeio, pode ser que tenha essa experiência. Uma dica aqui é sentar do lado direito do trem durante a subida e no esquerdo na descida. A vista vai ser bem melhor.

A descida é tão íngreme que não dá para ver os trilhos no horizonte (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

O Que Fazer

Imagem panorâmica do topo do The Peak (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Chegando ao The Peak, são várias opções. A primeira, claro, é tirar fotos de Hong Kong, já que você vai conseguir ver praticamente a ilha inteira daqui de cima.

Além disso, você pode também ir ao Shopping Paradise, comer nos vários restaurantes que têm por lá (alguns com vistas fantásticas), dar um rolê em um parque super bonito ou visitar o Cristiano Ronaldo no Madame Tussands (os ingressos custam HK$ 255. Uma dica, se você realmente quiser ir, compre o combo de ingresso Peak Tram  + Sky Terrace 428 + Madame Tussands no site).

Hong Kong é tão legal que até o CR7 resolveu visitar a ilha (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Já viu bastante prédio moderno e quer conhecer o lado mais tradicional de Hong Kong? Vêm comigo que eu te ensino a visitar o Big Buddha em Ngong Ping.


Booking.com
Booking.com