O guia completo pra visitar Machu Picchu com as novas regras


Depois de descobrir como chegar a Águas Calientes e como curtir a cidade, é hora do prato principal. A partir de agora te conto tudo o que você precisa saber pra visitar Machu Picchu, a cidade sagrada dos Incas (já atualizado com as novas regras).

Machu Picchu era considerado um lugar sagrado para os Incas (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Machu Picchu era um templo sagrado dos Incas e um lugar acessado somente pelas classes mais altas. Pela geografia de lá, no alto de uma montanha rodeada por outras montanhas, a cidade ficou esquecida no tempo, mesmo depois que os espanhóis acabaram com o império Inca.

Existem várias teorias de quando a cidade foi descoberta, mas a oficial diz que um professor norte-americano encontrou Machu Picchu em 1911 enquanto fazia pesquisas na região. Ele voltou aos Estados Unidos e divulgou a descoberta. A partir daí a cidade passou a ser conhecida mundialmente e se transformou em um polo turístico.

A cidade já passou por vários terremotos e mesmo assim a estrutura continua praticamente igual a do tempo dos Incas (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Machu Picchu é um dos patrimônios mundiais da UNESCO e um lugar obrigatório pra se visitar por quem gosta de viagens, história, natureza e paisagens deslumbrantes. Por mais fotos que você veja, nada é comparado a sentar na montanha e ter uma vista da cidade sagrada Inca. A vista é espetacular a traz uma sensação de paz encontrada em poucos lugares no planeta.

É normal encontrar Lhamas, animais típicos da região, andando soltas no templo (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Se você ficou com vontade de conhecer Machu Picchu, é hora de pegar um papel e caneta e anotar as dicas pra não errar na hora do planejamento.

Como Chegar

A entrada de Machu Picchu é o único ponto com banheiros do templo. Aqui também é a única área em que você pode comer (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Existem dois jeitos de ir de Águas Calientes pra Machu Picchu: a pé ou de ônibus. Se você não tem dó dos seus pés, pode subir uma escada bem alta. Não vai ser fácil. Pelo menos uma hora de subida, se você for bem preparado fisicamente.

A maneira usada por 95% dos turistas é o micro-ônibus. O serviço funciona durante todo o dia, de 10 em 10 minutos. A passagem custa $24 por pessoa, ida e volta. O certo é comprar a passagem quando chegar a Águas Calientes. Não se preocupe com horários. As passagens não especificam horas. Tanto pra ir, como pra voltar, é só entrar na fila da estação e esperar sua vez. Os ônibus começam a subir às 05h30 (o parque abre às 06h) e funcionam até às 21h. O trajeto dura meia hora.

O Clima

As nuvens cobrem as montanhas todos os dias em Machu Picchu. É só ter paciência que elas limpam em, no máximo, uma hora. (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Como já falei aqui no post sobre Cusco, a melhor época pra visitar o Peru é o inverno, entre maio e setembro, período com poucas chuvas. O verão lá é muito chuvoso. Em alguns períodos cai água sem parar por vários dias. Não é legal ir pra Machu Picchu e ficar debaixo de água o tempo todo, né?

Indo no inverno, o clima tende a mudar rapidamente no alto do templo sagrado. Por lá é frio durante a manhã e noite, mas durante o dia é quente, com a temperatura chegando perto dos 30°. Mesmo no inverno, a probabilidade de pegar chuva é grande, mas ela não vai durar mais de 30 minutos. Leve uma capa, já que Machu Picchu tem poucos pontos onde você pode se proteger da água.

O Ingresso

A visita a Machu Picchu é cheia de escadas e subidas. (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Bom, chegamos ao ponto mais polêmico e complicado na viagem pra Machu Picchu: o ingresso pra entrar ao parque. O que poderia ser simples, não é por dois motivos. O primeiro é a dificuldade pra comprar e o segundo é que o governo peruano mudou as regras de entrada no parque em 2017. O passeio pela cidade ficou um pouco mais engessado. Agora te explico certinho, passo a passo, como comprar o ingresso, já com a nova regulamentação.

Como comprar o Ingresso

O governo Peruano limita o número de pessoas que podem entrar diariamente em Machu Picchu. Por isso é obrigatório comprar o ingresso no Brasil, antes de qualquer outro passo. Depois do ingresso na mão, você pode ir atrás dos hotéis e do trem pra Águas Calientes. Isso porque você precisa comprar o ingresso pro dia e período específicos que vai visitar. Pra comprar, é preciso entrar nesse site e seguir os passos:

1 – No canto esquerdo, existem duas opções de visita: Machu Picchu e o Museu Manoel Chaves. Escolha só Machu Picchu.

2 – Logo embaixo, está o espaço pra selecionar a rota. Lá estão as opções Machu Picchu / Machu Picchu (2 Turno) / Machu Machu Picchu + Huayna Picchu (em duas janelas de horários diferentes) / Machu Pichu + Montanha (em duas janelas de horários diferentes).

A cidade de Machu Picchu com a montanha Huayna Picchu ao fundo. (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Antes de ir pro terceiro passo, vou te explicar umas coisas. Huayna Picchu é essa montanha maior, que fica no fundo do templo sagrado. O ingresso, que é mais disputado e acaba rápido, dá opção de subir no alto dela pra ter uma visão melhor de Machu Picchu. A subida é feita por uma escadaria antiga e demora, em média, uma hora. Nem tenho que dizer que ela não é feita pra quem passa o dia inteiro vendo Netflix no sofá, né? É preciso um pouco de preparo físico pra aguentar.

Já o ingresso Machu Picchu + Montanha dá acesso a montanha chamada Machu Picchu (mesmo nome da cidade). Ela fica do outro lado de Huayna Picchu, só que bem mais no alto. A subida é mais difícil ainda e de lá você vai conseguir ver a cidade sagrada bem pequena. Poucas pessoas encaram essa.

Bom, fui comprar e não tem mais o ingresso de Huayna Picchu, nem da montanha Machu Picchu! Preciso remarcar minha viagem? Não. A vista de cima das duas é bem legal, mas não é obrigatória pra quem vai visitar. Você consegue conhecer bem a cidade sem ter que subir a montanha. A subida em muitos casos até atrapalha quem não tem muito preparo físico. Depois falta tempo pra conhecer o principal.

Mas afinal, qual ingresso compro? Vamos lá. Com as novas regras, a sua primeira entrada em Machu Picchu obrigatoriamente precisa ser acompanhada de um guia, que pode te levar a três circuitos diferentes. O número 1 é maior e mais indicado. O 2 foca mais na parte interna da cidade e o 3 usa menos escadas, é indicado pra pessoas mais velhas ou com dificuldades de locomoção. Todos os passeios com o guia duram, em média, duas horas.

Mesmo existindo a opção de contratar um guia na porta de Machu Picchu, contrate um antes. De preferência aqui do Brasil mesmo, em uma das agências que fazem os pontos turístios em Cusco. Isso te dá mais segurança pra ter um passeio legal, além de já escolher o circuito que quer fazer. Um outro detalhe é que o guia obrigatório só vale pra primeira entrada no parque. Você pode comprar dois ingressos, um pro período da manhã e outro pro da tarde. Quando for entrar à tarde, é só mostrar o ingresso da manhã e dar o nome do guia, que você vai poder ficar de boa pela cidade sagrada. Essa regra vale também se você comprar um ingresso pro dia seguinte a primeira visita.

Bom, vamos agora saber como funciona cada opção:

  • Ingresso Machu Picchu (152 Soles) – Esse ingresso dá a opção de entrar no parque das 6h às 12h. Você pode entrar em qualquer momento nesse período e ficar dentro da cidade por quatro horas. Um exemplo: se você comprou esse ingresso, poderá entrar às 10h e ficar até 14h sem problemas.
  • Ingresso Machu Picchu (2 Turno) (152 Soles) – Esse ingresso é igual ao de cima, com a diferença de que você vai poder entrar no parque das 11h às 17h30. 
  • Ingresso Machu Machu Picchu + Huayna Picchu (200 Soles) – Esse aqui é pra quem quer visitar a cidade sagrada com o guia e ir pra montanha de Huayna Picchu. É preciso escolher a janela em que você vai subir (o horário em parênteses). A visita com o guia pode ser feita antes ou depois da subida. Ao contrários dos de cima, esse ingresso dá a opção de ficar seis horas dentro do parque.
  •  Ingresso Machu Pichu + Montanha (200 Soles) – Esse é parecido com o de cima, mas aqui você escolhe a montanha de Machu Picchu pra subir. Como ela é mais alta, você pode ficar sete horas dentro do parque.

3 – Depois de escolher qual ingresso deseja, vai aparecer uma tela com os valores. É só escolher a quantidade de ingressos e clicar em passo 2.

4 – Nessa tela é preciso preencher seus dados. Muita atenção na hora do número de documento. Você precisa colocar o que vai usar na viagem, passaporte ou RG. Eles checam esse número na entrada do parque.

5 – Na tela passo 3 você vai receber um número chamado código de reserva. Com ele, entre na guia pagamentos do site (ali em cima, do lado de reserva), digite o código e clique em pagar. Você tem três horas pra efetuar o pagamento, senão a reserva é cancelada.

6 – Agora é só pagar, certo? Infelizmente, não é tão simples. Lembra que eu disse que o processo não é tão fácil? Pra pagar, você vai precisar de um cartão de crédito Visa. E não é só isso. Ele precisa ter um sistema de segurança chamado Verified by Visa. A galera no Peru não é fã de Mastercard e ele não é aceito em vários estabelecimentos por lá. Fica a dica.

Mas eu não tenho cartão Visa!!! Posso pedir pra um parente emprestado? Com certeza, não! O governo diz que o cartão precisa estar no seu nome e isso será verificado na entrada do parque. No meu caso, eles não pediram o cartão quando cheguei, mas usar o de outra pessoa é um risco que você vai correr. O mais correto e chato, é ter que pedir um cartão de crédito Visa no seu banco. Se você tem um e não está conseguindo pagar por não ter o sistema de segurança Verified by Visa, ligue pro seu banco e peça. A maioria dos cartões mais novos já tem saído com esse sistema integrado.

7 – Depois do pagamento ser autorizado, é só usar o código de reserva na área Check-in do site pra imprimir os bilhetes de entrada. Não se esqueça de levá-los impressos, Machu Picchu não aceita os ingressos na tela do celular.

Lhama descansa tranquilamente com Machu Pichu ao fundo. (Foto: Saulo Degrande/Andando Pelo Mundo)

Conseguiu comprar os ingressos? Então se liga nessas dicas do tio pra a visita a Machu Picchu ser feita sem dores de cabeça:

1 – Use filtro solar. Machu Picchu fica em uma montanha a 2400 metros do nível do mar. Os raios solares são mais fortes por lá e queimam bastante. Ir de boné ou chapéu também é uma boa dica.

2 – Leve comida. Em comida, digo salgadinhos, bolachas e muita água. As subidas no parque são fortes e você vai suar com o calor. Só existe um restaurante na entrada no parque e ele enfia a faca em você sem dó. Uma garrafa de água chega a custar 20 soles. Não caia nessa.

3 – Como as subidas são intensas, não esqueça de ir com roupas leves e tênis. Leve um casaco na mochila pros horários mais frios, mas pode deixar o salto alto no hotel.

4 – Na saída do parque, tem um barraca em que carimbam seu passaporte com um selo de Machu Picchu. Na prática não serve pra nada, mas é bem legal ter um selo de Machu Picchu no passaporte!

Gostou da região de Cusco e Machu Picchu? Saiba que o Peru não tem só ruínas Incas. Aproveite que está no país e dê uma chegada em Lima. Aqui damos dicas de como aproveitar ao máximo a capital peruana e sua famosa culinária.


Booking.com
Booking.com